Tumor cresce na parede do útero, é benigno e costuma não apresentar sintomas até os 35 anos de idade; tratamento pode ser feito sem cirurgia

Miomas são tumores benignos que atingem a musculatura do útero. Eles costumam não apresentar sintomas até os 35 anos de idade. Alguns geram sangramentos excessivos durante a menstruação e resultam em anemia, segundo o ginecologista e obstetra César Fernandes, presidente da Febrasgo (Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia).

Existem três tipos de mioma: os intramurais, que crescem na parede do útero, os subserosos, que crescem para fora do útero, e os submucosos, que se desenvolvem dentro da cavidade uterina. De acordo com Fernandes, esse último é o que mais provoca sangramento e dores e afeta a saúde.

“Muitas mulheres desenvolvem anemia por conta da perda excessiva de sangue”, afirma o ginecologista. Anemia é a redução da quantidade de hemácias no sangue, que levam oxigênio para o corpo. “Isso predispõe a mulher à fadiga, doenças infecciosas, desmaios e perda de sentidos”, explica.

O sangue de mulheres que têm miomas é mais vermelho e tem coágulos, segundo o especialista. “A menstruação aumenta em quantidade e duração e pode se estender por vários dias”, diz Fernandes.

Segundo o ginecologista, é possível desenvolver mais de um tipo de tumor ao mesmo tempo e eles são mais frequentes em mulheres negras, embora possam aparecer em todas que estejam em idade fértil.

Os subserosos, por sua vez, costumam não apresentar sintomas, exceto quando crescem. “Pode gerar um peso sobre o reto e o intestino, o que leva à dificuldade de evacuar”, exemplifica.

Fernandes acrescenta que existem situações em que esse tipo de mioma não está bem aderido à parede do útero e gera complicações. “Eles podem estar ligados apenas por um pedículo (vaso sanguíneo)”, esclarece. “Esse predículo pode torcer e dar isquemia (redução ou falta de irrigação sanguínea), necrose e dor aguda”, completa.

Há mulheres que apresentam miomas muito pequenos. Eles podem permanecer assim durante a vida toda e não afetar a saúde. “Nesse caso, precisa apenas de acompanhamento para monitorar o crescimento e eventuais sintomas”, diz Fernandes.

Ultrassonografia ginecológica

É possível fazer o diagnóstico de miomas por meio dos sintomas descritos pela paciente. “A palpação do abdome e o toque ginecológico já permitem identificar o aumento do útero”, afirma o médico.

Para uma análise detalhada, é realizada a ultrassonografia ginecológica, que mostra o tamanho e a localização do mioma.

Tratamento personalizado

O tratamento depende da idade da mulher, do desejo de engravidar, do volume e da repercussão do tumor na saúde. “Se a pessoa quer ter filhos e o mioma é pequeno ou médio, existem remédios para reduzir o volume e a quantidade de sangramento”, explica o especialista.

Entretanto, o tratamento clínico pode não obter êxito. Nesse caso, é necessário operar. “Dá para fazer uma cirurgia conservadora, que preserva o útero e mata apenas os miomas”, esclarece.

Quando a paciente está chegando na menopausa, não quer engravidar ou já teve filhos, o médico propõe a retirada do útero e das trompas. De acordo com Fernandes, depois que a mulher para de menstruar definitivamente, é pouco provável que apareçam miomas. "A tendência é que eles diminuam de tamanho", afirma.

Fonte: r7


Centro Especializado de Reabilitação ganha novas especialidades

Teixeira de Freitas: O Centro Especializado de Reabilitação de Teixeira de Freitas (CER 4) está qualificado para atender as demandas

Prefeitura promove reestruturação para agilizar marcação de

Teixeira de Freitas: “A Regulação de Teixeira de Freitas já ficou boa e vai ficar ainda melhor com as novidades”. A afirmação é da dona

Nova terapia promete reduzir mortes por infecção generalizada

Medicamento chamado IRSh* combinado com antibióticos convencionais muda a "cara" da bactéria e corrige resposta do sistema

O sucesso do áudio pornô, que atrai cada vez mais mulheres

A indústria pornográfica migrou das fitas para o DVD, do DVD para internet, e agora acompanha a tendência de sucesso dos podcasts com uma

Uso de maconha medicinal é aprovado pela Anvisa

A Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou por unanimidade a legalização do uso medicinal da maconha. De acordo com o site Hypeness,

Veja os relatos de brasileiros que vivem a traumática paralisia do

Priscila Matos tem paralisia do sono há 25 anos, desde os 10 anos de idade "Eu tive essa sensação pela primeira vez aos nove anos. Acabei

Relatório identifica situação degradante em 40 hospitais

Vistorias feitas em 2018 apontam violência e exploração de trabalho Inspeções em 40 hospitais psiquiátricos de 17 estados das cinco regiões

Dezembro Vermelho: CTA realiza testes rápidos de HIV

O Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA) deu início nesta segunda-feira (02), às ações de conscientização do Dezembro Vermelho, com

Governo descarta problemas com vacina contra HPV

Técnicos analisaram reações em jovens que tomaram a vacina no Acre O Ministério da Saúde defendeu o resultado da avaliação de uma equipe de

Como acontece a morte cerebral

Desde o início do ano até setembro, foram 425 notificações de morte encefálica na Bahia, segundo a Sesab O cérebro parou de funcionar às

Nossos Apoiadores: