Uma loja japonesa deu a suas funcionárias a opção de usar uma etiqueta que identifica quando estão menstruadas. Mas a ideia gerou polêmica

Uma empresa de varejo do Japão decidiu implementar o uso de um crachá para indicar quais de suas funcionárias que estão menstruadas. Ele tem a imagem de um desenho apelidado de "Miss Period" ("Senhorita Menstruação"). A companhia disse que a ideia por trás dessa política é que funcionárias que optassem por usar esse indicativo pudessem ter ajuda adicional ou pausas mais longas durante a jornada de trabalho.

No entanto, a decisão de expor o período menstrual das funcionárias mulheres inclusive aos clientes despertou controvérsia no país asiático. Muitos clientes reclamaram da iniciativa. "Nunca houve a intenção de compartilhar informações menstruais com os clientes", disse Yoko Higuchi, porta-voz da loja de departamentos japonesa Daimaru, à BBC News. Agora, diante da repercussão negativa, a empresa disse que "vai repensar" sua política em relação à pequena identificação.

Por que a loja criou o crachá menstrual?

Em outubro, a filial Daimaru em Umeda, um importante distrito comercial e de entretenimento na cidade Osaka, criou os crachás para cerca de 500 funcionárias da seção de roupas femininas. Os crachás, entregues com a intenção de serem utilizados voluntariamente, foram introduzidos após uma sugestão dos próprios funcionários. A identificação foi vinculada à abertura de uma nova seção da loja. Em uma parte, o crachá informava que a nova seção, dedicada ao "bem-estar das mulheres", foi inaugurada em 22 de novembro.

Do outro lado estava o animal de estimação "Seiri-chan" (seiri significa "menstruação"). A ideia, disse a porta-voz da empresa, era "melhorar o ambiente de trabalho".

O que a equipe e os clientes fizeram?

Quando a loja informou a imprensa sobre os crachás, em 21 de novembro, alguns meios de comunicação publicaram que o objetivo era conscientizar os clientes e os colegas sobre o período menstrual das funcionárias. Um executivo da Daimaru que teve o nome preservado disse à imprensa local que havia "muitas queixas" do público e que "algumas delas estavam relacionadas a assédio".

Já Higuchi apontou que alguns membros da equipe "não entendiam" o objetivo dos crachás ou estavam "relutantes" em usá-los. "Mas outros funcionários disseram que a identificação era positiva", diz a porta-voz da empresa. "Se você perceber que uma colega está menstruada, pode oferecer serviços menos pesados para ela ou sugerir que ela faça intervalos mais longos, e esse apoio seria mútuo."

Higuchi também disse que clientes telefonaram para oferecer apoio à iniciativa. Após a controvérsia, a empresa decidiu não cancelar sua política, embora tenha anunciado que está reavaliando a estratégia. Higuchi disse que uma maneira diferente de compartilhar informações será testada, sem alertar o público, no entanto.

A menstruação é um tabu no Japão, mas hoje existe mais abertura para conversar sobre o assunto.

'A conversa está mudando'

Análise de Yuko Kato, jornalista da BBC em Tóquio:

Como em muitos países, a menstruação no Japão é uma espécie de tabu: as mulheres não falam sobre o assunto em público, nem os homens. O tema está sempre rodeado de vergonha.

Mas isso está mudando.

Alguns dias atrás, um programa de TV matutino com uma grande audiência no canal público NHK passou mais de uma hora discutindo como falar francamente sobre menstruação com familiares e amigos. Havia comentaristas homens e mulheres.

Quando a taxa de imposto sobre o consumo passou de 8% para 10% em outubro, os produtos menstruais também foram incluídos nesse pacote de reajuste. Isso causou indignação entre muitas mulheres e aumentou o diálogo social sobre a menstruação.

Enquanto as redes sociais contribuíram para essa abertura ao tema, outro impulso veio da experiência de muitas mulheres em abrigos durante desastres naturais no país. Houve muitas histórias nas redes sociais sobre mulheres que, nesses abrigos, eram instruídas a controlar o sangramento ou que tinham dificuldades para conseguir absorventes, embora não haja comprovação de que essas informações eram verdadeiras.

Fonte: BBC News


Próximo final de semana tem o Carnabarra 2020

Caravelas: Serão três dias de muita festa, com a praia do mar - como cenário - e a tranquilidade de sempre da Praia do Grauçá, com a estrutura

88ª CIPM realiza Projeto "Semeando o Bem" com o objetivo de

Alcobaça: Policiais Militares da 88ª CIPM que tem sua Companhia instalada na cidade de Alcobaça, com responsabilidade de policiamento também

Turma de 1995 do Colégio Henrique Brito faz reencontro após 25

Quando uma solicitação de amizade ou uma curtida te levam de volta para os tempos do colégio e permite o reencontro com colegas de classe anos

Após 2 anos sem o ver, Cantora Iza chora com desculpas do pai

Ela relembrou afastamento do pai no período em que ele se separou da mãe A cantora Iza participou do arquivo confidencial no Domingão do

Brasileiro 'Democracia em Vertigem' é indicado ao Oscar 2020

O documentário brasileiro "Democracia em Vertigem" foi indicado ao Oscar 2020 na categoria de melhor documentário de longa-metragem. Dirigido

Setores de TI e internet dominam ranking sobre mercado de trabalho

As profissões ligadas ao setor de tecnologia da informação e internet devem predominar no mercado de trabalho em 2020. A estimativa é da rede

Homem diz que implantou GPS em namorada para localizá-la em mansão

Segundo jornal, ele já se perdeu da namorada dentro do palacete onde moram Morador de um palacete em São Paulo, Chiquinho Scarpa que já se

Vanessa Giácomo viverá Eliza Samudio em série da Globo

Ideia da emissora é investir em um filão que é forte lá fora: histórias de crimes A Globo prepara uma série sobre a morte de Eliza Samudio,

Beyoncé e Jay-Z chegaram 45 minutos atrasados no Globo de Ouro

Casal teve que ficar de pé enquanto Ellen DeGeneres recebia o prêmio Carol Burnett e acabou escoltado para seus assentos na área do poço perto do

Dia Nacional do Fotógrafo é comemorado nesta quarta (08)

Em 8 de janeiro é comemorado o Dia Nacional do Fotógrafo. A atividade registra momentos corriqueiros ou históricos por meio de habilidade de

Nossos Apoiadores: